E disse Deus…

Por Jairo Pereira Filho. Eu não idealizei a Humanidade como ela está e nem ao homem compactuando dos meus ideais… Se eu permiti que surgisse esse micróbio sobre o grão de pó cósmico a que chamam Terra, foi no único intuito de que evoluisse… Não queiram me culpar pela existência deste planetinha insignificante cheio de…

Amar pela metade…

Que o Amor é o maior e mais sublime dos sentimentos, não há nenhuma dúvida. O que mais causa espécie ao pensador é esse negócio de ‘amar pela metade’… É tão fácil dizer para alguém, seja cônjuge, filho, amigo ou um próximo, “eu te amo”. Será mesmo amor ou confortável empatia? Diria o pensador: “O…

Oi Celular, tem um tempinho para mim?

Diálogo final entre um jovem de 16 anos e seu celular com capa dourada. “Oi, Celular, tem um tempinho pra mim? Queria te contar umas coisas. Afinal, você é o único que ‘conversa’ com a gente aqui nesta casa… Não? A gente é que conversa com você? Através de você? Malandro… É você que entrou…

Os “ismos” do Fisiologismo – Parte 2

Já o dissera antes, e reitero agora, que o Fisiologismo Político credita às suas vítimas as responsabilidades sobre o mal que produz. O Fisiologismo Político é caracterizado pelas ações políticas (ou não) tomadas sempre em troca de algo, de modo escuso, premeditado, que são os favorecimentos ilegais mascarados de atos legais, com contrapartidas igualmente maquiadas…

Alma de poeta

Singra minh’alma sangrenta por esses mares da vida, ‘desde sempre navegados’… Pois que por sobre as ondas, – ora mansas e serenas, ora terríveis e assassinas -, navegam a pacata bruma, também os ventos e os furacões! Singra minh’alma sangrenta por esses mares da vida, ‘desde sempre navegados’… Mancha com vermelhas lágrimas – desse azul…

Alma curtida de dores

Por Jairo Pereira Filho. Na medida em que os tempos passam – e digo no plural porque são muitas as peregrinações vividas por cada qual – vamos nos tornando ‘curtidos’ feito couro que um dia vira pelica… Quero crer que lá nos primórdios, antes que o Nada existisse, exceto essa Consciência Cósmica que também do…

Filme de época.

Por Jairo Pereira Filho Sempre que fecho os meus olhos vejo um filme de época passando na tela da minha memória. Tem cenas de romance e paixão; cenas hilariantes; cenas de luto e tristeza; cenas de medo e apreensão; cenas de loucura e de salvação… A cena mais triste na saga, trata da perda irreparável…

Amigos, amigos. Os falsos… esqueça!

Por Jairo Pereira Filho. Todo mundo têm amigos e nem todos os amigos são falsos. “Pero que los hay, hay”… O bom amigo nem sempre precisa se manifestar para fazer provas de amizade; ele irradia de longe a sua bondade e o seu sentimento puro para com você. Ele torce no silêncio pela sua causa,…

Apreensões d’alma

Morre mais um dia. Outro pôr de sol me inquieta. Com as sombras da noite surgem os espectros de lembranças boas ou más… Ergo a caneca cheia do vinho mais forte que há e bebo em homenagem à solidão de minh’alma; antes cansada, ora oprimida, por um corpo que se recusa morrer… Nasce mais um…

Prazer, me chamo… Esqueci.

Por Jairo P Filho. E agora que o ocaso parece mais perto? A luz que eu irradiava mais parece o lume de uma vela solitária sem o esplendor dos candelabros… O passar dos tempos me assombra tanto quanto a solidão a que me impus. E agora que a minha nau parece acelerar rumo ao esquecimento…

Elucubrações de insone

Por Jairo Pereira Filho. Se o Planeta Terra é considerado astronomicamente como um finíssimo grão de pó em relação ao Multiverso – o Cosmos Infinito -, a nossa vida humana, em relação à ele e ao Tempo e Espaço, deveria ser apenas um episódio ao acaso, por acaso, imperceptível… Mas é bom lembrar que existe…

Desabafo quando a desgraça retornou mais forte…

Por Jairo Pereira Filho Até quando? Ontem Mariana, hoje Brumadinho… Até quando? Amanhã pode ser Itabirito. Até quando? E depois de amanhã, onde mais vão matar as lamas da omissão? Ontem a gente chorou, hoje choramos dobrado… Até quando? Amanhã pode ser Rio Acima, Ouro Preto, Nova Lima; quem mais, desgraçados? Das quase mil feridas…